SATÉLITES DE COMUNICAÇÕES

  

   Informação geral

     Os satélites de Telecomunicações são geralmente colocados em Órbitas Geoestacionárias, do inglês Geostationary Earth  Orbit (GEO). A GEO é uma órbita circular com um raio de  35.786 km acima do equador da Terra e com um sentido de rotação que acompanha o sentido de rotação da Terra.  Um objeto em órbita Geoestacionária, tem um período orbital igual ao período de rotação da Terra, de modo parecer imóvel numa posição fixa no céu, a observadores terrestres.

    Os satélites em GEO, permitem efectuar ligações permanentes de comunicações com sinais de rádio, com antenas fixas colocada no solo terrestre. Estes sinais não são muito diferentes dos sinais que são usados para transmissão da televisão terrestre, mas geralmente têm uma frequência de entre 3 e 50 vezes superior. O sinal é recebido pelo satélite a partir de uma estação terrestre numa dada frequência, é feita a transposição da informação para outra frequência de rádio e este sinal é amplificado e transmitido de volta para a Terra, permitindo comunicações entre pontos que estão a milhares de quilómetros de distância.

    A propriedade particular que torna os satélites geoestacionários extremamente atraentes, é a sua capacidade de transmissão. Os sinais que são retransmitidos pelo satélite, podem ser apanhados à superfície da Terra, pelas antenas em qualquer parte da área de cobertura do satélite.   Esta pode ter o tamanho de um país, uma região, ou um continente. Qualquer pessoa com uma antena, por vezes, tão pequena quanto 40 ou 50 cm de diâmetro, pode se tornar um utilizador directo do satélite.

    Qualquer objecto que circule a Terra a uma velocidade superior a cerca de 8 km/s, torna-se um satélite. Ele ainda está a cair pela atracção gravitacional da Terra, mas a queda é compensada pela curvatura da Terra conforme o satélite se move. Ele está a cair, mas nunca atinge o solo.

    O satélite não precisa de propulsão e continuará a orbitar a Terra por anos. A fricção das camadas finas superiores da atmosfera da Terra pode, eventualmente, retardá-lo e fazer com que ele se queime à medida que desce para a baixa atmosfera.

    Se um satélite é lançado com mais energia, ele viaja mais rápido e o raio de sua órbita é maior. Quanto maior for a órbita, menor é a velocidade angular do satélite em torno da Terra é mais lenta. Como referência, a Lua está a cerca de 380 000 km da Terra e seu período orbital é de 28 dias.

    Satélites de Baixa Orbita, do inglês  Low-Earth Orbit (LEO), como a Estação Espacial Internacional e muitos satélites científicos de observação da Terra, operam em altitudes muito mais baixas: dão uma volta à  Terra em cerca de 90 minutos em altitudes de apenas algumas centenas de quilômetros. Podem ser utilizados em redes de telemóveis, mas não são Geoestacionários.

 

Para mais informação sobre satélites Geoestacionários, queira PF consultar a página da  Word Press sobre o assunto.

 

Para trabalhos interessantes sobre satélites artificiais, PF consulte os links:

 

http://www.youtube.com/watch?v=khiuxyGwBzI

http://www.youtube.com/watch?v=cA9rrYvc5Y4

http://www.youtube.com/watch?v=rUMoCAmJwbU

 http://www.youtube.com/watch?v=JsNwgIW5_nU

Tradutor

Portuguese Afrikaans Albanian Arabic Armenian Azerbaijani Basque Belarusian Bulgarian Catalan Chinese (Simplified) Chinese (Traditional) Croatian Czech Danish Dutch English Estonian Filipino Finnish French Galician Georgian German Greek Haitian Creole Hebrew Hindi Hungarian Icelandic Indonesian Irish Italian Japanese Korean Latvian Lithuanian Macedonian Malay Maltese Norwegian Persian Polish Romanian Russian Serbian Slovak Slovenian Spanish Swahili Swedish Thai Turkish Ukrainian Urdu Vietnamese Welsh Yiddish

Um serviço com a qualidade